Guia IndikaBem
Publicado por

Entendendo o Choro

Antes de sua companheira ficar grávida (se é que sua memória vai tão longe), provavelmente a primeira coisa que passa pela sua cabeça quando se fala em bebês era o som do choro. Era aquele barulho infernal, que você conhecia tão bem, advindo de crianças irritantes, cujos pais – sem consideração – conspiravam para criar aqueles gritos agudos no meio do ônibus ou do metrô, em restaurantes ou lojas e naquelas adoráveis reuniões de família pelas quais você esperava ansiosamente todo ano.

Olhando para trás, talvez você deveria ter sido um pouco mais compreensivo, não é? O bebê provavelmente teve um bom motivo para chorar; talvez fosse fome, dor ou tédio. Os pais com certeza devem ter tido vontade de chorar também, pois provavelmente tentaram de tudo o que lhes foi possível para acalmar o bebê. Deve ter sido doloroso para você ouvir o choro, mas, pelo menos, você tinha a opção de sair dali. Agora não pode mais.

Sem razão aparente?

A maioria dos bebês passa por um período de agitação todos os dias (frequentemente na mesma hora do dia) e nada parece ajudar. Pode-se tentar tocar uma música calma, um passeio rápido ao ar livre ou uma saída de carro. Se o bebê chora inconsolavelmente de madrugada e tem entre 3 e 14 semanas de vida, ele pode estar sofrendo de cólica. Se você acha que não é cólica e nada parece “funcionar”, é bom expressar suas preocupações ao médico de confiança.

Por que os Bebês Choram?

Um bebê normal chora um total de 01h a cada 24 horas, por diversos motivos, no decorrer do dia e da noite. Com frequência, os momentos de choro podem mudar, então, às vezes pode parecer que seu bebê está chorando mais do que antes, quando na verdade, ele está chorando o mesmo de sempre. Mudou apenas o padrão.

O choro é o método principal de comunicação de um bebê. Nao é sua única maneira de se comunicar, pois já existem elementos da linguagem corporal e uma variedade de expressões corporais que sutilmente indicam seus sentimentos e necessidades. Mas o choro do bebê não tem nada de sutil. O choro é a meneira natural do bebê garantir que conseguirá o que precisa para sobreviver. É o bebê pedindo alguma coisa. Pode ser comida, bebida, alívio para dor, ou algo para brincar. O que com certeza ele não está fazendo é tentando aborrecer você. Ele só está fazendo o que seu corpo está dizendo ser necessário. Algumas pessoas tomarão o choro como uma tentativa do bebê “chamar a atenção”. Mas de que forma o bebê pode mostrar suas necessidades, mesmo que sejam “somente” tédio ou solidão, sem chamar a atenção dos pais? Um adulto que está entendiado ou solitário tentará resolver isso – por que não o bebê?

Então não há como fugir do fato de que o bebê passará uma quantidade razoável de tempo chorando todo dia. A melhor maneira de diminuir o impacto na sanidade da vida doméstica é tentando criar uma sintonia entre você e o bebê. Depois de um tempo, você será capaz de identificar os diferentes tipos de choro do bebê para situações diferentes. Por exemplo, um choro estridente significa dor, já um choro baixo, gorgolejante, provavelmente significa que o bebê está entediado. Quanto mais rápido você reconhecer o que ele está pedindo, mais rápido você pode atender as necessidades do choro.

Claro, é ainda melhor se você aprender a prever as necessidades do bebê antes do início do choro, procurando conhecer como ele reagirá a certas situações e estímulos, observando os padrões de comportamento, ou reconhecendo a linguagem corporal até o próximo choro.

 

Texto Adaptado – Fonte: O guia do Papai – Colin Cooper – Novo Conceito

Fonte da Imagem: Red Orbit (Créditos e Divulgação)

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
0 0 183 16 maio, 2013 Filhos maio 16, 2013

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escolha seu idioma

Busca

Posts Relacionados

SIGA

CURTA

Pinterest
Email
Print
WP Socializer Aakash Web